O que as mulheres querem de seus partos?

Maíra Libertad

 

O querer é mesmo muito particular. As vontades que eu tenho são fruto de uma combinação meio caótica entre a minha história de vida, as minhas experiências, a minha inserção em um determinado grupo social, as coisas que eu considero que são valiosas, a cultura em que eu vivo, as vontades 'socialmente aceitas', o instinto etc. etc. etc. E assim acontece com todo mundo.

 

Como, então, responder a essa questão? O que será que as mulheres querem de seus partos?

 

Em primeiro lugar, convém salientar que não existe uma entidade 'as mulheres' que seja homogênea e bem organizada cujo querer possa ser medido com precisão. Dentro desse grupo 'mulheres', há a executiva de sucesso, a dona-de-casa prestimosa, a adolescente rebelde, a trabalhadora do campo, a senhora idosa, a médica plantonista, a vendedora de balas... Então, em primeiro lugar, temos que considerar que há uma quantidade infinita de 'tipos' de mulheres que, muito provavelmente, querem coisas diferentes entre si – sem mencionar o fato de que a mesma mulher pode querer coisas completamente diferentes em situações diferentes.

 

Uma análise superficial concluiria então que essa é uma questão impossível de responder. No entanto, a resposta está justamente aí:

– Cada uma quer uma coisa, ora bolas! Pergunte a elas e não a mim!

 

Esse talvez seja o princípio fundamental que deve guiar qualquer um que se importe em entender os desejos das mulheres sobre seus partos. A regra geral é procurar saber o que aquela uma em especial, que está ali na sua frente, quer. Isso vale para os profissionais de saúde, mas também para todo mundo que se avente a dar palpites, conselhos e coisas do tipo para mulheres grávidas.

 

Uma das explicações dadas por alguns obstetras para os índices de cesárea absurdos no país é a vontade das mulheres, ou seja, são as mulheres que pedem cesárea, são elas que querem e eles apenas acatam a vontade delas. Acabou que essa idéia se difundiu e muita gente acredita nisso que é um mito.

 

As mulheres querem mesmo cesárea?

 

Não, elas não querem. Veja bem que eu não estou dizendo que nenhuma mulher quer cesárea, apenas que 'as mulheres' não querem. Afirmar que é porque as mulheres pedem que temos 80% de cesáreas nos hospitais privados é cometer um equívoco.

Um estudo realizado por pesquisadores da Fiocruz entre 1998 e 1999 investigou se existe mesmo uma 'cultura feminina da cesárea', se são mesmo as mulheres que desejam a cirurgia. Foram entrevistadas 909 mulheres no pós-parto em duas maternidades do Rio de Janeiro, perguntando se queriam que seu bebê nascesse de cesárea e a maioria (75,5%) respondeu que não. As razões apresentadas pela preferência para o parto normal foram a recuperação mais difícil e lenta na cesárea e também a dor e o sofrimento no pós-operatório. Apenas 17% das mulheres solicitaram a cesárea, sendo que 75% delas, apenas com o trabalho de parto já em andamento. A conclusão do estudo é a de que não existe uma 'cultura feminina' que tenha a cesárea como preferência, ou seja, não são as mulheres que escolhem essa forma de nascer para seus filhos (para ler o artigo na íntegra sobre esse estudo e conhecer as outras conclusões, clique aqui - fazer o link).

 

Lançamos no dia 8 de março, quando o site foi ao ar, uma enquete com a seguinte pergunta 'Você já teve parto normal?'. Se olharmos para os resultados após um mês, veremos que a maioria das mulheres respondeu que teve parto normal e gostou da experiência ou que, quando não teve, gostaria muito de ter ou de ter tido. É claro que a enquete não pode ser encarada como uma pesquisa científica, no entanto, nos dá pistas sobre o que querem as mulheres que acessam o site da rede.

 

Há então uma divergência muito grande entre o desejo das mulheres e o que elas conseguem na prática. A maioria quer parto normal, mas muitas acabam tendo seus bebês através de uma cirurgia desnecessária (a média nacional de cesáreas fica em torno de 40%, alguns hospitais privados chegam a 90%, quando a Organização Mundial de Saúde preconiza que não há justificativas para taxas de cesárea acima de 15% - saldo que temos? Uma quantidade absurda de cirurgias abdominais desnecessárias). Essas mulheres que querem parto normal e ganham de presente uma cesárea sem necessidade não só estão sendo desrespeitadas quanto ao seu desejo, mas também estão sendo mais expostas a riscos pelos sistemas, instituições e profissionais de saúde.

 

Sabemos, então, que a maioria das mulheres não quer cesárea, prefere o parto normal. O que mais será que elas querem? Todo mês, aqui nesse espaço, vamos falar sobre desejos – sobre mulheres e seus desejos de parto –, utilizando estudos científicos, depoimentos de mulheres, os resultados das nossas enquetes e qualquer outro tipo de fonte que pudermos encontrar para tentar responder a essa pergunta.

 

E você? O que é que você quer do seu parto? O nosso fórum está aberto para você participar também desse espaço. Seja bem vinda!

 

Maíra Libertad

Rio de Janeiro-RJ, abril de 2006

© 2015 | Rede Parto do Princípio

  • b-facebook
  • Twitter Round
  • Instagram Black Round